Teônia Soares

Quem ama, tem olhar diferenciado. Teônia  Soares

Textos


Sapatilhas Brancas que nunca tive
 
No final da Vida, há uma despedida triunfante,
Uma dança vitoriosa,
Há um tocar de violino suave, que aqui nunca houve,
Um bater de asas familiar, porque sempre me visitastes,
Sempre o senti tão perto, direto,
História Gloriosa, assinada por quem me deu o fôlego,
As minhas mãos esvoaçantes, gesticulam orações,
Há um diálogo "emudecido", que diz tudo, que tudo faz,
A partida que não olha para trás, porque tudo enxergou, 
O desabrochar para o outro lado, que aqui, ressecou.
Se há um pedido que faço, é que,
se um dia lembrarem de mim,
lembrem como uma Flor branca,
desabrochada no asfalto,
que sempre dançou ao som do Céu,
com sapatilhas brancas que nunca tive.



 
Teônia Soares
Enviado por Teônia Soares em 15/10/2019
Alterado em 19/10/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras