Teônia Soares

Quem procura a felicidade,  ama com igualdade. Teônia  Soares





 
Com a leveza que faz morada no meu coração,
ponho na minha escrita,
o peso das minhas interrogações.
Levo a Vida cantando, dançando, lendo,
principalmente, escrevendo,
com assinatura em lágrimas, ou sorrindo,
matutino esperançado no que está vindo.
Sou livre, quando não luto,
Sou luto, quando cedo,
Nada me estremece mais que dar boas vindas as palavras,
Soadas com verdades, simplicidade, bailam,
Não há ensaios, são balaios do que escrevo,
São como bolhas de sabão, transparentes, 
pinceladas em multicores,
entre maravilhas e dores, 
 sonhos, pedindo Vida, amores,
Coração, pedindo o sumo,
pedindo o rumo...
pedindo letras...
Caminhos feitos de retidão, de curvas,
esquinas as quais, esquivo, 
Não seria humana se prosseguisse só em linha reta,
Vivo para o acerto,
Faço todo o meu possível,
Com atitudes, caráter,
Os quais, sempre aqueço.


Teônia Soares


Espero que todos façam uma boa leitura.
DEUS os abençoe.

 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras